sexta-feira, 25 de junho de 2010

Abrindo Janelas


De uns tempos pra cá quando recebo uma crítica, dou a ela a oportunidade de me ajudar ou não.

Um fato fez com que eu recorresse o real significado da palavra 'Egoísmo' e no dicionário dizia o seguinte: " Sentimento ou atitude de excessivo apego aos próprios interesses em detrimento dos interesses dos outros."

Fiquei alguns segundos em silêncio, algumas lágrimas correram e um filme passou na minha mente. Algumas pessoas já devem ter sentido isto. sabe quando você não tem o dever de amar alguém, mas ama... E não é qualquer amor, é algo incondicional e transparente, visível a quem quiser ver, um amor que não pede nada, não julga, nem questiona, apenas ama...

Sabe quando você se doa pra cuidar de alguém por amor? Fica com ela do anoitecer ao amanhecer sem pensar em um dia pedir retorno.

Sabe quando ninguém quer saber o que você tem a falar, mas num ato compulsivo você acaba despejando e contando tudo aquilo que viveu e compartilhou com alguém...

Saindo desse mérito, volto a lembrar do egoísmo. Paro frente ao espelho, após um olhar profundo para o reflexo, afirmo: Sim, tive momentos egoístas. Assumo.

Mas pergunto ao seres humanos: Você nunca foi egoísta? Que se pronuncie aquele que está nesse mundo, que tenha alcançado tamanha perfeição. Agradeço a Deus por momento como esse, onde eu pego a crítica, olho pra ela, vejo se enxergo em mim e posso assim dar mais um passo a frente com fé de não tropeçar no mesmo erro.

2 comentários:

  1. gostei do nome do Vitrine, não sei se tem relação com a música do Chico Buarque, mas se for, gostei mais ainda!

    ResponderExcluir
  2. Oi querida. Belo texto. Obrigado por comentar e seguir o Chapeleta Roxa. Seja sempre bem-vinda. Beijos.

    ResponderExcluir