domingo, 22 de agosto de 2010


Da janela, enxergo a vida...
Uma abertura simples capaz de inundar os olhos de luz, ou então acolher-me no escuro.
Fico a pensar... Tenho tantos sonhos e vontades a realizar, desejo envolver o mundo em um abraço carinhoso.
Percorrer a trajetória, feliz, sem deixar que ninguém derrube meu castelo de cartas.
Dar bom dia aos pássaros.
Boa noite a lua.
Ir e vir, sorrir lá e cá, fazer a diferença aqui.
Voltando a janela posso ver, árvores de vários tamanhos e tons, intercalados por grades, que separam-me do que há de vir.
Olhando o céu me sinto estrela, brilhando humildemente no seu espaço, sendo apenas um pontinho na terra.
Agradeço por estar protegida. Mas uma hora ponho a gratidão em minha bagagem e saiu por aí a procura de novas janelas, com novas paisagens e com o mínimo de grades, para que o ar entre sem pedir licença e sinta a textura do meu sorriso.